Brasil

PT do Paraná convoca ato pró-Dilma

Compartilhe

PT ParanaAssim que o PMDB anunciou seu desembarque do governo Dilma, o PT do Paraná distribuiu nota convocando a militância para um ato em defesa da democracia e para “dar um basta na tentativa de golpe no Brasil”. A intenção é levar milhares de militantes para se somar a mobilização nacional programada para quinta-feira (31).

No Paraná, os atos acontecerão às 17h. Em Curitiba, na praça Santos Andrade; em Londrina, em frente ao Banco do Brasil – calçadão; em Maringá, na praça Raposo Tavares.

Clique em “Continue lendo” para ver a íntegra da convocatória

O PT reafirma seu compromisso histórico com os trabalhadores e com as classes populares, sendo a defesa da democracia uma condição para qualquer avanço. Hoje, é a democracia que está ameaçada, a soberania do voto de milhões de brasileiros que elegeram a presidenta Dilma e que a oposição quer cassar, sem que haja qualquer motivo real que justifique esse ato, senão o fato de terem perdido a eleição em 2014.

Impedir Dilma é golpe, sim! É golpe:

Na lei: A Constituição é clara. Só pode haver impedimento quando houver crime de responsabilidade. A presidenta Dilma não tem dinheiro declarado na Suíça. A presidenta Dilma não roubou. Ela fez decretos – apelidados maliciosamente de pedaladas – que todos os ex-presidentes fizeram. São atrasos de repasses a bancos públicos para garantir a manutenção de programas sociais. São apenas questões administrativas. E que foram realizadas por governadores de 17 estados, inclusive por partidos da oposição.

No combate à corrupção: o golpe é no combate à corrupção, sim! As investigações estão chegando nos graúdos golpistas da oposição. Afastando a presidenta, volta-se ao tempo em que se roubava, nada era apurado e tudo ia para debaixo do tapete dando a falsa impressão de país das maravilhas. Segundo a Transparência Brasil, dos 65 membros da comissão do impeachment, 37 enfrentam acusações de corrupção ou outros “crimes graves”. Cinco membros da comissão são acusados de lavagem de dinheiro, outros 6 de conspiração e 19 são investigados por irregularidades nas contas; 33 são acusados ou de corrupção ou de improbidade administrativa; ao todo, 37 membros foram acusados, alguns deles de crimes múltiplos”, afirma a ONG.

Nos direitos dos trabalhadores: são os mesmos que não querem reajuste do salário mínimo acima da inflação. Que querem desvincular o reajuste do salário mínimo da aposentadoria. Que querem terceirizar e flexibilizar os direitos dos trabalhadores pela reforma trabalhista.

No patrimônio: Já entregaram a Vale do rio Doce, maior mineradora do mundo a preço de banana. E agora querem entregar o pré-sal impedindo que as riquezas geradas sejam compartilhadas com a nação brasileira. O PT criou o Fundo Social, que vai dirigir o dinheiro do pré-sal para Educação, Saúde, Ciência e Tecnologia. Mas os golpistas querem apenas a comissão do pré-sal gerada por negociatas para o bolso deles.

Nos programas sociais: Bradam que o Bolsa Família é programa para preguiçosos. Criticam o Mais Médicos e falam mal do Samu. Prometem fechar com a Farmácia Popular. Nunca construíram moradias para as famílias pobres, mas só acham defeito no Minha Casa Minha Vida. Cotas nas universidades? Jamais! Os golpistas acreditam na seguinte meritocracia: os filhos deles puderam estudar nas melhores escolas particulares e eles querem o ressarcimento dos seus gastos com o dinheiro do povo sustentando seus filhos nas universidades públicas. E nas privadas, que permaneçam só aqueles que podem pagar. Ou seja, será o fim do Prouni , Pronatec e Fies.

Não se deixe enganar! O movimento que pede o impeachment é político e seus líderes são réus ou estão sendo investigados por corrupção. Provaram serem incapazes de qualquer mudança em favor do povo brasileiro, perderam nas urnas e agora querem tomar o poder à força, com o apoio de uma mídia comprometida e parte de um judiciário seletivo e perseguidor, que juntos foram os maiores apoiadores da ditadura militar no Brasil. Dentre os 513 deputados da Câmara, segundo a Transparência Brasil, 303 são investigados por algum crime. No Senado, o número também ultrapassa os 50%: 49 dos 81 senadores estão envolvidos em investigações. E esses números ainda não incluem os mais de 300 nomes de políticos e partidos que constam na lista de pagamentos da Odebrech, apreendida pela Lava Jato.

Dia 31 de março venha para as ruas mostrar que quem manda no Brasil é o povo e que Golpe Nunca Mais!

Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores do Paraná

Deixe uma resposta